Alimentação e inteligência emocional: como as refeições diárias podem impactar na qualidade de vida?

Afinal, a alimentação hospitalar é boa ou ruim?

A alimentação hospitalar é um assunto de grande relevância, pois é essencial para uma boa recuperação do paciente.

Mas nesse cenário não é apenas a questão de recuperação que precisa ser levada em conta. O paciente é um dos pontos principais, se não o principal, no processo de reabilitação e também merece uma atenção especial. É preciso entender as preferências dele e, claro, oferecer uma refeição de qualidade para que todo o processo seja simplificado.

Esse é o assunto central desta publicação. Acompanhe para entender a importância desse tema.

Como fica a qualidade da alimentação hospitalar

As chances de que você já tenha escutado alguma reclamação sobre comida hospitalar são grandes: que ela é ruim, que tem o mesmo gosto ou que sempre é a mesma.

Essa é uma situação complicada, mas em alguns casos também injusta com os responsáveis pelas refeições em hospitais.

É claro que o paciente não pode se alimentar apenas com alimentos de que ele mais gosta. Principalmente por ser necessário que naquele momento ele ingira os nutrientes essenciais para uma boa recuperação e também que o satisfaça.

Contra esse ponto certamente não restam dúvidas, não é mesmo?

Mas essa fama ruim da alimentação hospitalar teve de vir de algum lugar e a popularidade ficou.

Algumas vezes os próprios sentidos dos pacientes, como olfato e paladar, estão afetados pela doença e nesses casos realmente é difícil encontrar uma solução.

Existem alguns exemplos de hospitais que trabalham a parte visual do prato para que ele fique mais atrativo.

Independentemente da causa, esse é um problema real e alternativas precisam ser encontradas.

Inclusive investir na melhora do cardápio e na qualidade das refeições oferecidas.

Interferências na alimentação hospitalar

A fama sobre a qualidade das refeições hospitalares não é o único problema que as dietas prescritas sofrem.

Uma outra situação, que surge até mesmo em consequência disso, é a interferência familiar, por exemplo.

Muitos parentes levam algum alimento ou bebida quando vão visitar quem está hospitalizado. Esse é um grande problema, pois a alimentação correta é um dos principais fatores para uma boa recuperação.

Além disso, questões como a limpeza também podem ser impactadas diante disso.

O principal objetivo das refeições hospitalares é a atuação em conjunto com os medicamentos para que o paciente se recupere.

Em alguns casos, será necessário retirar itens como temperos mais fortes e alguns tipos de alimentos.

Mas isso não quer dizer que a alimentação não precisa ser saborosa e de qualidade. Com esses aspectos positivos, certamente essas interferências podem diminuir e até mesmo acabar na sua instituição.

Ofereça uma alimentação hospitalar de qualidade

Encontrar formas de contornar situações adversas é uma necessidade, certo? E para isso é preciso identificar o problema, buscar novas soluções ou alterar processos atuais.

As refeições hospitalares certamente são um assunto de grande importância e precisam ser tratadas como tal.

Em meio a tantas responsabilidades, serviços para serem executados e lidar com assuntos delicados, como acontece na área da saúde, terceirizar a alimentação hospitalar pode ser uma boa opção.

A ideia de trabalhar com empresas especializadas no assunto é de principalmente garantir a qualidade, a segurança e a correta execução de todas as atividades que envolvem a alimentação da sua instituição de saúde.

A Risotolândia Saúde, por exemplo, é especialista na área e atua com uma equipe completa para atender às suas necessidades da melhor forma.

Conte com soluções inovadoras, personalizadas e um acompanhamento completo para que seus pacientes estejam satisfeitos com os serviços prestados e, claro, se recuperem da melhor forma.

VOLTAR
Fique atualizado.
Receba as publicações do Blog Risotolândia diariamente na sua caixa de mensagens.