Alimentação e inteligência emocional: como as refeições diárias podem impactar na qualidade de vida?

Como lidar com a dificuldade de se alimentar das crianças

A alimentação possui um papel fundamental no desenvolvimento infantil,  e os casos dificuldade alimentar nesta fase podem ocasionar alguns problemas.

O período de transição da amamentação para o início do consumo de outros alimentos também é o começo dos hábitos alimentares da criança.

Desde cedo é importante ter refeições saudáveis e consumir uma boa variedade de nutrientes diariamente. Mas, nós bem sabemos que nem sempre é fácil criar um cardápio variado e que seja aprovado por todos.

Por isso, no post de hoje iremos apresentar algumas dicas de como lidar as dificuldades para inserir alguns alimentos na rotina alimentar dos pequenos.

Dificuldades de se alimentar na infância

É comum vermos pais e responsáveis preocupados com dificuldade de se alimentar dos filhos. Temos dois grandes problemas comuns nesse sentido, um deles é a falta do consumo de frutas e verduras e o outro é a falta de apetite das crianças.

Se a criança não come, a primeira recomendação é procurar um médico. As dificuldades de se alimentar podem causar danos sérios à saúde, tanto a curto quanto a longo prazo.

Quem não se alimenta bem não consegue realizar todas as atividades que precisa durante o dia, não tem energia e o maior problema é não dar ao corpo os nutrientes que ele precisa para funcionar corretamente.

Essa é uma situação bem preocupante, já que cuidar da saúde nessa etapa da vida é fundamental para o desenvolvimento. 

Já para as crianças que têm dificuldades para consumir alguns tipos de alimentos a situação é diferente. Os casos mais populares são sobre frutas e verduras não estarem no topo das preferências.

A primeira dica e talvez a mais importante é não forçar a barra. Se a criança não gosta de determinado alimento não adianta insistir demais, fazer pressão para que ela coma ou então dar punições.

Nesse sentido, vale a pena testar receitas diferentes para chamar a atenção e então descobrir se elas gostam de consumir o alimento em questão de alguma outra forma que não in natura.

Caso ela não goste será preciso encontrar outra alternativa. Por exemplo, se estamos falando de um alimento rico em ferro e a criança não gosta de beterraba, você pode inserir no cardápio dela folhas verdes para fornecer este nutriente.

Mais importante do que o alimento que será consumido é o nutriente que o corpo precisa receber para se desenvolver. Por esse motivo, é fundamental possuir um cardápio bem variado. 

O cuidado com a alimentação precisa ser redobrado na infância

Ter uma boa alimentação nessa fase é muito importante para uma vida mais duradoura e saudável. Possuir hábitos mais saudáveis desde a infância é uma das melhores formas de se prevenir de doenças e estimular o desenvolvimento.

Os problemas mais comuns que uma alimentação ruim pode gerar já neste período são a obesidade e a diabetes. Ambos são problemas bem sérios e que podem ser difíceis de serem superados caso não sejam controlados a tempo.

Por esse motivo, além de incentivar os pequenos a terem boas refeições, é importante criar uma consciência neles sobre esse assunto.

A família é um importante agente neste trabalho e a escola também pode auxiliar por meio de atividades sobre educação alimentar.

Esse trabalho em conjunto sem dúvidas é o melhor caminho para superar as dificuldades de alimentação, ter uma vida muito mais tranquila e não se privar do prazer de comer o que gosta.

As refeições são muito importantes em nosso dia a dia e ninguém precisa comer o que não gosta só porque faz bem. Encontrar o meio termo entre preferências e necessidades é o que não apenas as crianças precisam fazer mas todos nós.

A dificuldade de se alimentar na infância é um assunto sério e que precisamos continuar atentos constantemente.

Para conferir mais conteúdos sobre o assunto acesse o nosso blog.

VOLTAR
Fique atualizado.
Receba as publicações do Blog Risotolândia diariamente na sua caixa de mensagens.