Alimentação e inteligência emocional: como as refeições diárias podem impactar na qualidade de vida?

3 ideias de ações para as escolas promoverem a educação alimentar para crianças

Trabalhar a educação alimentar para crianças é um papel que vem ganhando cada vez mais destaque nas escolas. Esse é um assunto que merece ainda mais atenção, pois exerce um papel direto no aprendizado e desenvolvimento infantil.

Outra questão importante em relação a isso é conscientizar os pequenos desde os primeiros anos de vida sobre a necessidade dos cuidados com a alimentação e os impactos dela ao longo da vida.

Família e escola são agentes importantes nesse assunto, mas hoje vamos focar em como instituições de ensino podem contribuir com a educação alimentar. Confira.

Ações para incentivar a educação alimentar para crianças

1 – Faça as crianças colocarem a mão na massa

Com um tom de brincadeira e estudo ao mesmo tempo, a educação alimentar pode alcançar resultados ainda melhores. A escola certamente é um ambiente que pode proporcionar isso e ainda aproveitar o relacionamento entre os alunos para deixar o momento ainda mais divertido.

Uma opção muito bacana é criar uma horta junto com os alunos. A ideia é ensiná-los a como preparar o espaço, plantar e, claro, falar sobre quais itens serão utilizados ali. Essa horta pode ter temperos ou alimentos simples que podem fazer parte das refeições oferecidas.

Para complementar essa ideia, ainda vale levar os pequenos para a cozinha e ensiná-los a preparar receitas simples e saudáveis. Nas duas situações é muito importante sempre tomar todos os cuidados com a segurança e tornar o processo o mais didático possível.

2 – Integração com as famílias

A educação alimentar para crianças ultrapassa os limites da escola e também depende bastante da família. Afinal, de nada irá adiantar a escolas realizarem uma série de atividades voltadas ao tema e em casa a criança não poder colocar em prática nada do que aprendeu.

Uma primeira ideia é envolver as famílias nas atividades escolares relacionadas à alimentação. Por exemplo, em um dia pais e filhos irão juntos trabalhar na horta da escola ou criar seus próprios vasinhos para levar para casa.

Fugindo um pouco das atividades mais práticas, é possível trabalhar com eventos que tratem sobre o tema. Médicos, nutricionistas e professores podem dar palestras que falem sobre a conscientização sobre alimentação.

3 – Brincadeiras educativas

As brincadeiras sempre são importantes para o aprendizado durante a infância, principalmente sobre temas mais complexos, como é o caso da educação alimentar que envolve uma série de fatores.

Aqui vale usar muito a criatividade e desenvolver atividades que as crianças possam interagir e aprender se divertindo. Algumas ideias de brincadeira são:

  • O que é, o que é? (você pode dar algumas dicas sobre cor, formato, sabor ou característica do alimento para que a criança adivinhe)
  • Fazendo a lista do supermercado (aqui a proposta é pedir para que a criança monte um lista de compras para o supermercado. Podemos separar por setores e dar ênfase às frutas e legumes)
  • Montando o lanche (com imagens de vários alimentos podemos deixar as crianças livres para escolher os que preferem. É importante deixar junto os alimentos não saudáveis também, para explicarmos os prejuízos que eles trazem)

Essas podem ser ótimas estratégias para trabalhar a educação alimentar para crianças e incentivá-las a adotarem hábitos de vida mais saudáveis.

A alimentação é muito importante na infância e você pode conferir tudo sobre o assunto em nosso blog. Acesse aqui.

VOLTAR
Fique atualizado.
Receba as publicações do Blog Risotolândia diariamente na sua caixa de mensagens.