Alimentação e inteligência emocional: como as refeições diárias podem impactar na qualidade de vida?

Gamificação corporativa: Risotolândia inova e utiliza a gamificação para promover o conhecimento e construir competências

A gamificação corporativa tem se mostrado uma grande aliada no aperfeiçoamento e treinamento de profissionais das mais variadas áreas. O termo, cada dia mais difundido no meio corporativo é, nas palavras de Brian Burke, VP do Gartner Group – referência mundial em pesquisa e consultoria – define como um “design de experiências digitais e mecânica de jogos para motivar e engajar pessoas para que elas atinjam seus objetivos”.

Uma pesquisa divulgada pelo The eLearning Guild mostra que 79% das pessoas falam que seriam mais produtivas e motivadas aprendendo por meio de jogos. O estudo ainda revela que, até o final de 2020, metade dos processos corporativos serão gamificados e também que 40% das grandes empresas vão usar o potencial da gamificação para alavancar negócios, de forma estratégica. Os dados mostram, a nível mundial, uma tendência que chegou ao Brasil e já é considerada um grande diferencial de mercado aos setores que apostam na ferramenta.

Nos últimos 12 meses um grupo de profissionais multidisciplinares da Risotolândia, incluindo pedagogos, psicólogos, engenheiros de alimentos, nutricionistas, cozinheiros e auxiliares de cozinha trabalhou em conjunto e de forma voluntária para desenvolver um aplicativo voltado a gamificação corporativa: o Universo Risotolândia, com o objetivo de capacitar e preparar equipes de alta performance. Segundo Fernando Seacero, psicólogo e sócio fundador da i9ação – empresa paulista parceira que viabilizou o APP – existe uma grande diferença entre a aprendizagem tradicional e a aprendizagem através da gamificação. “A aprendizagem normal, seja digital ou a distância, traz no máximo 12 % de retenção, já conteúdos gamificados conseguem até 36% além de promover a aproximação entre empresa e colaborador, transformando o conhecimento em uma experiência mais divertida e imersiva, com feedback contínuo”.

Para ele, os games nas empresas são parte de uma tendência mundial e que a Risotolândia, como pioneira no concorrido setor, vai movimentar o mercado. “Como está acelerando o processo de aprendizagem, a marca está gerando dois grandes outputs: um deles é o maior índice de retenção e o outro é maior nível de colaboração. E, em um mercado tão competitivo, a retenção do talento é primordial”, destaca.

Proposta x metodologia x inclusão digital

Através da gamificação corporativa o aprendizado dos colaboradores se torna ainda mais leve, pois trabalha com a ludicidade do cenário e personagens, trazendo situações do cotidiano e permitindo que o profissional pratique, sem medo de errar, construindo sua própria competência. A metodologia utilizada para a construção do universo Risotolândia também é um diferencial do projeto, pois todas as etapas foram construídas em um processo de co-criação.

A participação foi ativa de profissionais de todos os níveis da organização que definiram o escopo do aplicativo, os cenários e os critérios A experiência resultou em um jogo aderente à realidade da organização, atendendo as necessidades de capacitação dos colaboradores, pois são feedbacks e apontamentos dados pelos próprios colaboradores que colocam em prática o anseio de todo o RH: reunir as demandas da organização e dos colaboradores.

O APP é parte da estratégia de inclusão digital adotada pela organização desde 2015. A primeira iniciativa foi a implantação daUniversidade Corporativa Risotolândia, em formato EAD, em 2016. Hoje a UCR oferece gratuitamente 60 cursos, distribuídos em cinco escolas e mais de 1200 colaboradores já foram capacitados.

“E foi a implantação da UCR que impulsionou e permitiu nossa busca incessante por conhecimento, através de novos formatos. Com uma economia de 84% em relação aos treinamentos presenciais, redistribuímos nosso orçamento, investimos na criação do APP e geramos saving para a organização. Isso sem falar do aumento da satisfação do colaborador que se torna mais autônomo em relação ao seu aprendizado, já que a UCR pode ser acessada de qualquer lugar e em qualquer horário”, explica Kamille Dantas, gerente de RH e Qualidade.

A elaboração da estratégia contou com o subsídio de uma pesquisa acadêmica, onde foi constatado, de forma amostral, que 74% do quadro de colaboradores da empresa tinham smartphones com acesso à internet. Ainda de acordo com a pesquisa os acessos eram motivados pela busca de informação (63%), diversão (28%) e desenvolvimento de novos conhecimentos (9%).

Foi também a pesquisa acadêmica, aliada aos demais objetivos do Grupo, que mostrou a oportunidade de criar novas ferramentas para o aprendizado corporativo na empresa. “Nossos objetivos vão além da qualificação. “Queremos atrair talentos e assegurar o desejo de permanência na empresa, observando pontos fortes, avaliando oportunidades de melhoria nas equipes. O game nos trará uma visão diferenciada no que se refere ao desempenho da equipe, nos possibilitando trabalhar exatamente onde é necessário o aperfeiçoamento. Isso gera assertividade orçamentária, satisfação dos gestores e colaboradores”, acrescenta Kamille Dantas.

Como funciona o APP?

A gamificação de processos não só treina, como engaja e ajuda a resolver situações do cotidiano. Ao acessar o APP os colaboradores são guiados por conteúdos exclusivos, estruturados internamente pela empresa, desafiando os profissionais na busca por mais informação e aprendizado.

O acesso ao game será por fases: a primeira é voltada à integração e é para todos os colaboradores. A próxima fase será direcionada às áreas, com perguntas específicas. “É nessa fase que as auxiliares de cozinha terão perguntas sobre o universo da cozinha e assim por diante. Aqui cada voluntário que participou da construção do game fez apontamentos minuciosos da rotina de trabalho e, a partir disso, surgiram as perguntas”, complementa Mariana Godoi.

Dentro do universo de mais de 5 mil colaboradores, o Grupo Risotolândia espera que 4 mil acessem e participem do game. “Nossa proposta é que o desafio de cada colaborador dentro do game seja totalmente de acordo com os desafios que ele tem no dia a dia da empresa. Vamos além de promover o conhecimento, estamos contribuindo com o desenvolvimento das competências de cada um deles”, diz Kamille – gerente de RH.

Conforme evolução no game, que terá um ranking mensal os colaboradores receberão na tela do celular avisos de direcionamento aos cursos da UCR para integração das plataformas digitais e complementação do processo de aprendizagem. Diante do ranking, a empresa fará premiações três vezes ao ano, presenteando os profissionais com acessórios e equipamentos ligados ao universo digital, incentivando e promovendo ainda mais a inclusão digital.

“Temos mais de 5 mil colaboradores em sete estados do país. Além das dificuldades de compatibilidade de horário, nossa dispersão geográfica é muito grande. Por isso, o incentivo às práticas digitais são fundamentais em nossa empresa, principalmente quando se fala em treinamento. Estamos otimistas com essa novidade e os números nos orientam para o caminho certo”, complementa Kamille.

Leia também: 5 benefícios para engajar colaboradores

VOLTAR
Fique atualizado.
Receba as publicações do Blog Risotolândia diariamente na sua caixa de mensagens.